Bom, galera, eu presumo que todo mundo que acompanha os meus artigos tem alguma noção do que é Commander, e se esse não é o seu caso, sugiro que releia este artigo , onde eu explico isso.
Na semana passada eu expliquei todas as cartas banidas da Lista Francesa, e como prometido, essa semana eu vou explicar os banimentos da lista “oficial”. Porque aspas? Porque a lista oficial não é mantida ou elaborada pela Wizards, e na verdade, a Wizards pode demorar meses pra atualizar a lista que consta no seu site. A lista oficial é mantida pelo comitê de regras de commander, então sinta-se à vontade pra esfregar isso na cara do seu amiguinho que diz coisas como “Ah, se o site não é oficial da Wizards, não quero saber!” O formato não é oficial da Wizards, a Wizards sempre deixou isso bem claro. O formato é do comitê de regras, a Wizards só divulga os anúncios que eles fazem.

Antes de eu explicar as cartas banidas, eu preciso explicar o princípio filosófico do Commander, postulado pelo Sheldon Menery e defendido ferozmente pelo comitê de regras:

O Princípio Absoluto de Commander é fomentar a interação entre os jogadores. Garantir que todo mundo se divirta durante o jogo é muito mais importante do que quem ganha o jogo, e nesse ponto Commander é muito diferente de todos os outros formatos de Magic. O Comitê de Regras resume esse princípio na frase “Crie jogos que todos vão gostar de lembrar, não jogos que alguns prefeririam esquecer.” Sim, muitas pessoas não gostam disso. Muitas pessoas gostam de ganhar. Pra essas pessoas, existe o Commander Francês, Highlander, Vintage, Legacy, Modern, Standard, Selado, Draft, Pauper, Tiny Leaders, Block e todos os outros formatos. Por isso, essa parcela da comunidade é oficialmente ignorada pelo Comitê de Regras de Commander. Os dois itens que oficialmente não importam para a decisão de uma carta ser ou não banida é a competitivade da carta e a sua eficiência em jogos 1×1 (Afinal, para isso que existe o comitê Francês de regras)

As razões pelas quais uma carta pode ser banida são:

-Cria Jogos/Situações indesejáveis: algumas cartas fazem o jogo se tornar exatamente aquilo que o formato tenta evitar: jogos rápidos, eficientes, em que alguém subitamente ganha o jogo. Isso não só é anticlimático, mas também tira a graça do jogo para todos os outros jogadores. E note que esse efeito pode ser causado por uma carta que tem um custo muito baixo em relação a seu efeito, como Erayo, Soratami Ascendant ou uma carta que tem um efeito muito forte, independente do custo da carta, como Biorhythm.

-Quebra a variedade do formato: A variedade é vital para o Commander, e se alguma carta começa a aparecer em todos os baralhos, em todos os grupos, em vários lugares diferentes, ela torna-se um forte candidato ao banimento. O exemplo mais clássico disso é Emrakul, the Aeons Torn.

-Gera mana demais, rápido demais: Fazer uma jogada de dez mana no sétimo turno é forte. Fazer uma jogada de dez mana no terceiro turno é tremendamente frustrante para seus oponentes. E antes que alguém possa falar “Sol Ring”, lembre-se que ele é praticamente um Ur-Golem’s Eye comparado à Tolarian Academy ou Channel.

-Interage mal com a estrutura de Commander: Quando Magic foi criado, ninguém estava pensando em Commander, e isso causa algumas interações degeneradas: o defeito de Gifts Ungiven é a necessidade de encontrar cartas com nomes diferentes. Isso foi feito pra balancear o que seria uma Intuition de quatro cartas. Oras, em Commander isso não é um defeito! Claro que você vai encontrar quatro cartas com nomes diferentes!

-Cria uma barreira de entrada muito alta: O jogo deve ser acessível para todos. Cartas que são difíceis de obter (não somente de um ponto de vista financeiro, mas também de raridade da carta) e que sejam muito fortes vão desbalancear o formato. E se você acha que dual lands deveriam se qualificar nesse item, lembre-se que foram impressas mais de trezentas mil de cada dual land, contra aproximadamente vinte mil Black Lotus. Sem contar que nem todo deck vai usar Underground Sea, mas todos gostariam de uma Lotus!

Uma vez que você tem esses conceitos muito claros em sua cabeça, é simples entender porque cada uma das cartas foi banida. Sem exceção alguma, todas se encaixam em algumas dessas razões, e algumas delas se encaixam em várias! Segue a lista de banidas no dia de hoje, 26 de Janeiro de 2015:

Ancestral Recall
Balance
Biorhytm
Black Lotus
Braids, Cabal Minion
Coalition Victory
Channel
Emrakul, the Aeons Torn
Erayo, Soratami Ascendant
Fastbond
Gifts Ungiven
Karakas
Library of Alexandria
Limited Resources
Sundering Titan
Primeval Titan
Sylvan Primordial
Mox Sapphire
Mox Ruby
Mox Pearl
Mox Emerald
Mox Jet
Painter’s Servant
Panoptic Mirror
Protean Hulk
Recurring Nightmare
Rofellos, Llanowar Emissary
Sway of the Stars
Time Vault
Time Walk
Tinker
Tolarian Academy
Upheaval
Yawgmoth’s Bargain
Griselbrand
Worldfire
Trade Secrets

Na semana que vem, darei a minha opinião pessoal a respeito dessa lista e do procedimento que o Comitê usa pra escolher novas cartas a serem banidas ou desbanidas.

Até lá!

Artigos Relacionados

SEM COMENTÁRIOS

Deixe sua Resposta