Eu não acho que seja necessário eu explicar aqui o que é Commander. Por Deus, galera. Se vocês estão lendo os meus artigos há semanas e não sabem o que é isso, eu agradeço e aproveito a oportunidade para pedir que vocês cliquem nos links dos anunciantes. Assim que eu arrumar alguns.

Ainda assim, com alguma frequência, surgem dúvidas relacionadas às regras e à lista de banidas de Commander. Qualquer um que pergunta no Facebook se Primeval Titan é banido no Commander, sai com mais dúvidas do que estava quando fez a pergunta. E a explicação pra isso está na história do nosso formatinho favorito:

O Commander nasceu como passatempo de juízes em eventos grandes, há muito mais tempo do que a maioria das pessoas pensa. Olha, por exemplo, esse artigo de 2004 falando de Commander e de como o formato mudou desde sua criação.

Sinta-se à vontade para ignorar o link do artigo também. Toda a informação nele está desatualizada, exceto pelos dados históricos: Commander era chamado Elder Dragon Highlander porque originalmente você precisava usar como comandante um dos cinco Elder Dragon Legends: Chromium, Arcades Sabboth, Vaevictis Asmadi, Palladia-Mors ou Nicol Bolas. Com o passar do tempo, o formato foi se popularizando entre os juízes em torneios grandes – que jogavam isso pra passar o tempo entre partidas e à noite – e o formato foi crescendo, sempre sob o comando do criador Sheldon Menery, juiz nível 5 e líder do comitê de regras. É ele que decide as atualizações de regras, as cartas banidas e as interações anormais do formato, como os Desejos, por exemplo.

Em 2007, Kevin Desprez, juiz nível 4, levou o formato pra França, e junto com seus amigos, começou a fazer testes para tornar o Elder Dragon Highlander um formato mais competitivo, com apenas um oponente e uma lista de banidas mais focada em duelos. Sheldon Menery não se opôs à esta ideia, embora não acreditasse que houvesse interesse dos jogadores em jogar de maneira competitiva algo tão desnecessariamente complicado como o EDH. Mas, ele não contava com o interesse das lojas: ao mesmo tempo que Kevin Desprez estava elaborando as suas regras para Elder Dragon Highlander competitivo, lojas como a Starcity Games estavam tomando nota do crescimento desse formato esquisito que dependia de várias cartas encalhad… digo, pouco usuais. Era uma situação ideal para todo mundo: os jogadores tinham um novo e interessante formato para jogar que dependia de cartas estranhas do passado longínquo, que a Starcity Games vendia por preços irrisórios para o pessoal montar decks e jogar em seus torneios desse novo e interessante formato.

Foi com o boom de jogadores que veio a ideia da Starcity de começar a fomentar esse formato com campeonatos e promoções de cartas. A Wizards não teve qualquer escolha além de prestar atenção nisso. Um fato pouco conhecido – mas importantíssimo – é que quando a Wizards decidiu criar o Commander, eles entraram em contato com Sheldon Menery para garantir que não existiria uma cisão do formato (e se proteger, porque, afinal de contas, daria muito azar roubar na cara dura o formato do sujeito que vinha escrevendo sobre ele há pelo menos 7 anos). O Sheldon tornou-se então o responsável oficial pelas regras e banimentos em Commander, enquanto ainda existia o comitê de duelos na França, liderado por Kevin Desprez. Esta era a situação em 2011.

Nos últimos três anos, não mudou muita coisa: Kevin Desprez se afastou da organização do Commander francês, mas ainda existe um comitê que cuida das regras e banimentos, Sheldon Menery ainda é o responsável pelas regras do Commander oficial e a Wizards quer vender produto selado mas, pelo menos, eles não passam por cima do comitê: a ideia de colocar Planinautas como comandantes surgiu, na verdade, a tempo de ser feita no Commander original, em 2011, só que o Sheldon bateu o pé porque ele não deixaria de forma alguma isso acontecer antes que ele pudesse testar extensivamente essa possibilidade. Após dois anos de testes, chegamos aos plani-comandantes monocoloridos que temos hoje.

Para a semana que vem e a próxima, irei focar a coluna nas diferenças entre o Commander oficial e o Duel Commander, comentando as listas de banidas e as razões para as diferenças nas regras. Como meus outros artigos foram a respeito de Commander oficial, eu acho justo que semana que vem comecemos pelo Commander Francês. Até lá!

Artigos Relacionados

SEM COMENTÁRIOS

Deixe sua Resposta