Olá, Comandantes! Essa semana a Carol do Multiverso Magic publicou um vídeo a respeito dos ciclos de terreno mais famosos do Magic. É muito bom conhecer os nomes para que você não pareça ter começado a jogar ontem numa conversa sobre o jogo, ainda que você tenha começado a jogar ontem. Mas é um fato de que os terrenos mais famosos do jogo são Caros com “c” maiúsculo.

Como fazer um deck de várias cores sem precisar hipotecar minha casa?

Se você quer montar um Commander de cinco cores, existem duas formas de fazer isso: a rápida e fácil é colocar 10 dual lands, 10 fetchlands, 10 shocklands e completar com terrenos utilitários e/ou que fazem mana de qualquer cor. Note que essa é a forma rápida e fácil, não a forma barata. Mas acredite ou não, existem pessoas que por alguma razão preferem gastar menos de seis mil reais nos terrenos de seu deck.

Mas se você é desses que acha que “pagar aluguel” e “comprar comida” é mais importante do que consistentemente ter mana disponível na cor que você precisa, não se preocupe, o seu problema tem solução!

Ah, você buscava uma solução mais garantida? Bom, também tenho uma pra esse caso, mas é a minha última tentativa, se isso não funcionar, vai ter que jogar com uma cor só:

O grande lance para fazer um deck de várias cores (sejam duas, três ou cinco) é com terrenos antigos e/ou impopulares. Todo mundo conhece os terrenos que estão no vídeo lá em cima, todo mundo os quer, e se todo mundo quer, o preço dispara! Mas existem um monte de terrenos que custam centavos e ninguém usa!

Melhores Terrenos
O melhor terreno barato, sem dúvida nenhuma!

A possibilidade de fazer uma base de mana budget é apenas mais uma das maravilhas do Commander de Mesão: num duelo, você não pode se dar ao luxo de usar muitos terrenos que entram virados, porque o seu oponente está focando exclusivamente em você. No mesão, se alguém abrir a guarda pra atacar você, ele vai ser atacado pelos outros jogadores. Além do que, como os custos de mana costumam ser mais altos no mesão, é menos ruim você começar o jogo usando terrenos que entram em jogo virados: os primeiros turnos são menos importantes, a menos que alguém jogue coisas como Sol Ring e Mana Vault… E quem faz todo esse mana no começo do jogo termina virando o alvo da mesa de qualquer forma, então você que está com os terrenos que entram em jogo virados terá sossego pra baixá-los!

Com pelo menos três oponentes, Dismal Backwater é quase tão bom quanto Underground Sea, especialmente se você não tem fetchlands. Claro, Underground Sea ainda é melhor, mas não é mil e quinhentas vezes melhor, apesar de custar mil e quinhentas vezes mais caro!

Todos os blocos lançados na história do jogo tem pelo menos um ciclo de terrenos pra corrigir sua cor de mana, exceto os blocos de Urza (Saga, Legado e Destino de Urza), de Mercádia (Máscaras de Mercádia, Nemesis e Profecia) e Mirrodin (Mirrodin, Darksteel e Quinta Aurora). Claro, tem alguns ciclos que são muito, muito ruins, como o de Terras Natais (Jesus, o Castle Sengir me dá pesadelos até hoje, mas por todas as razões erradas!) e alguns outros ciclos são bem carinhos (bom dia, Scalding Tarn) mas a grande maioria deles é razoável, barata e não é utilizada por ninguém. Apresento-lhe-os:

  • Era Glacial: As Painlands que a Carol falou no vídeo lá em cima nasceram aqui. Mas também nasceram aqui as Depletion Lands, como Lava Tubes, terrenos que entram de pé mas demoram um turno para desvirar. Um terreno que entra virado e depois funciona normalmente vai te irritar menos do que um que desvira a cada dois turnos, mas elas existem e entram de pé.
  • Miragem: As fetchlands de Investida são caras. As de Zendikar são mais caras ainda. As de Khans of Tarkir deram uma aliviada, mas eu ainda não as chamaria de baratas. Mas Miragem tem fetchlands que entram viradas e não lhe custam vida, como Rocky Tar Pit! Se você já tem as shocklands (ou qualquer outro terreno básico específico que queira pegar) elas são uma ótima pedida sem gastar muito.
  • Tempestade: Em Tempestade tivemos dois ciclos diferentes, um de cores aliadas e um de cores inimigas: o ciclo de cores aliadas funciona como as Depletion Lands, mas você tem a opção de gerar mana incolor sem “travar” o terreno, como em Cinder Marsh. O ciclo de cores inimigas é exatamente igual às painlands, mas entra em jogo virado. Isso na época foi grande coisa, porque as painlands de cores inimigas só seriam lançadas quatro anos depois, em Apocalipse. Compare Salt Flats com Caves of Koilos!
  • Urza: Mas eu acabei de dizer que Urza não tem ciclo de terrenos! Bom, não tem ciclo, mas eu não poderia deixar de mencionar a Thran Quarry, a melhor amiga de decks multicoloridos baseados em criatura!
  • Invasão: Aqui a porca torce o rabo! Invasão foi o primeiro bloco oficialmente focado em decks multicoloridos, e dá pra notar! Primeiro temos os primeiros terrenos não raros a fazer mana de duas cores sem te custar nada, como Urborg Volcano, e também os terrenos comuns que você sacrifica pra fazer mana na hora do sufoco, como Geothermal Crevice e Archaeological Dig. Em Apocalipse, como eu disse, tivemos as painlands de cores inimigas, mas em Conjunção foram lançados aqueles que na minha opinião são os mais subestimados terrenos: Os Lares! Crosis’s Catacomb é uma tri-land que entra de pé devolvendo um terreno que pode ou não estar virado pra sua mão! Ou seja, você vai se atrasar um pouquinho lá na frente, mas ao contrário de Rakdos Carnarium, você não perde esse turno! E esse “custo” dos Lares ainda pode ser na verdade um facilitador se você usa terrenos como Gemstone Mine, Tendo Ice Bridge ou Teetering Peaks.
  • Odisséia: Aqui nós ganhamos as Filter de Pobre. Shadowblood Ridge é pior do que Graven Cairns, mas não é MUITO pior, e é metade do preço. Note, ao gastar um mana e virá-la pra fazer dois mana, na real você está virando dois terrenos pra gerar dois mana, então a Terra mantém o seu equilíbrio, ela não é mais lenta ou mais rápida que outros terrenos… A menos que você só tenha ela em jogo! Ainda nesse bloco temos os terrenos Contaminados, que geram duas cores de mana se você controlar um pântano… E só se controlar um Pântano! Esses terrenos foram lançados em Tormenta, uma edição onde a maioria das cartas era preta, daí a disparidade.
  • Investida: O grande ciclo de terrenos daqui são as fetchlands originais, que para sempre serão mais caras que as de Khans, mas nesse bloco foi lançado o Grand Coliseum, uma painland universal que entra virada.
  • Kamigawa: Tivemos aqui um retorno das meio-lands de Tempestade, com template nova e arte bonita. Lantern-Lit Graveyard pode não ser o terreno mais elegante do jogo, mas entra em pé, faz duas cores de mana e custa centavos, então tá valendo. Também temos no bloco a já mencionada Tendo Ice Bridge, que apesar de não ser tão barata assim, é um de meus terrenos favoritos!
  • Ravnica: Assim como Invasão, o tema desse bloco eram decks multicoloridos, e o bloco inteiro foi construído em cima disso! Além das Shocklands terem nascido aqui, as coleções também tinham bouncelands e os terrenos da guilda: Blood Crypt já é velha e cara conhecida, e Rakdos Carnarium é a versão bounce. Mas você sabia que cada guilda tem um terreno com habilidade? No caso dos Rakdos, é Rix Maadi, Dungeon Palace, e todos eles tem utilidade num deck daquela guilda!
  • Espiral Temporal: Aqui nós não temos muita coisa, mas o que temos é genial: Molten Slagheap está copiando a idéia dos Storage Lands de Máscaras de Mercádia, que copiou as Storage Lands de Fallen Empires que copiou as Baterias de Mana de Legends… A diferença é que essas de Espiral Temporal te deixam fazer mana em qualquer combinação das duas cores! E em Future Sight, temos o ciclo de terrenos futuros: Graven Cairns já viraram um ciclo e Grove of the Burnwillows e Horizon Canopy são caros pra dedéu, mas Nimbus Maze e River of Tears são ótimos terrenos que não custam muito!
  • Lorwyn/Shadowmoor: Lembra que em Odisséia saíram as filter land de pobre? Então, as de rico saíram aqui, então pode ir circulando… Só não se esqueça jamais dos Terrenos Vívidos! Vivid Crag e seus amigos são, na minha opinião, os melhores terrenos pra quem quer montar um deck multicolorido sem gastar muita grana. Não importa quantas cores o seu deck tenha, tem uma cor que você usa mais que as outras, e essa cor o terreno faz de graça. Qualquer outra cor ele só faz duas vezes, mas depois ele continua no campo de batalha fazendo a sua cor “grátis” até você comprar um Lar ou uma Bounceland! Também tem menção honrosa aqui no bloco as Tribal Lands, como Auntie’s Hovel mas elas só te servem se você estiver jogando com aquela tribo… Exceto por Murmuring Bosk, o filho bastardo de uma Floresta com uma Caves of Koilos que você consegue puxar com fetchlands ou com Nature’s Lore!
  • Alara: A primeira tentativa da Wizards de estimular decks de três cores, e eles mandaram muito bem. Trilands como Crumbling Necropolis, mini-fetches como Grixis Panorama e terrenos com potencial para fazer todas as cores, como Ancient Ziggurat e Exotic Orchard, tudo a preço de banana na feira depois do almoço.
  • Zendikar: Pra um bloco que deveria ser baseado em terrenos, nem acho que Zendikar tem tantos assim. Claro, tem vários terrenos bacanas pra decks monocolor, mas pra corrigir a curva, temos apenas as Manlands e os Refúgios: o Akoum Refuge é como as taplands de invasão, mas te dá um ponto de vida. Claro, com o advento dos Guildgates em Retorno à Ravnica e dos terrenos de Khans of Tarkir que são exatamente iguais, eles ficaram menos interessantes.

A partir desse ponto, os terrenos que restam são caros, conhecidos, ou caros e conhecidos. São as fastlands no bloco de Cicatrizes de Mirrodin, as Half Taps de cores inimigas em Innistrad, Shocklands e Guildgates em Retorno à Ravnica, as Scrylands de Theros, as fetches, trilands e taplands de Khans…

Se vocês gostaram desse estilo de artigo, passando edição por edição e falando das cartas nelas que servem alguma função em Commander, comentem! Se houver interesse, eu posso fazer semana que vem um artigo sobre como montar um deck de commander baseado em terrenos básicos!

E até semana que vem!

"No bloco de vocês, vocês colocam quantos terrenos quiserem, mas no meu, não!"
“No bloco de vocês, vocês colocam quantos terrenos quiserem, mas nesse aqui quem decide sou eu!”

Artigos Relacionados

2 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns pelos artigo, comecei a lê-los ontem e só faltam 2. Por fim, sei que o objetivo eram os terrenos, mas um artigo sobre no mesmo estilo sobre os artefatos seria muito bem vindo para os iniciantes. PS: Obrigado por me lembrar que a finalidade do formato é se divertir e não ganhar exatamente.

Deixe sua Resposta